Animação Vocacional

A santidade é uma vocação

A vocação à santidade se expressa no chamado divino: “Sede santos, porque o vosso Deus é santo” (1Pd 1,16 e Lv 19)

Foto: Cathopic

Em que consiste esse ser santo? Para alguns significa algo ultrapassado que nem cabe refletir; para outros, talvez, seja algo tão distante que não é possível atingir e, por isso, desistem.

Outros acreditam que ser santo está intimamente ligado a um desenfreado esforço humano, caracterizado por jejuns exagerados, horas prolongadas de oração e, especialmente de um afastamento quase total de tudo o que esteja ligado às “coisas do mundo”.

O que diz Pedro?

Se prestarmos atenção, no texto da Carta de Pedro, perceberemos que ser santo não é nada extraordinário; é viver profundamente o batismo. Isso é um dom, uma graça recebida de Deus que conta também com a constante conversão e o desejo renovado de responder ao projeto que Deus.

Mas, em que consiste viver profundamente o nosso Batismo? 

O Batismo é um novo nascimento e que nos dá o direito à herança, à participação na vida de Jesus Ressuscitado, e a comunicação plena na comunidade de fé. Mas, o que significa receber por herança a participação na vida de Jesus Ressuscitado? Essa herança traz inúmeras consequências para a vida do batizado. 

A primeira consequência está em perceber que Deus Pai se manifesta nas palavras e gestos de Jesus Cristo. Com isso, o nosso Deus não é alguém distante, ausente. Antes, ao contemplar a existência humana e frágil de Jesus, estamos contemplando o grande mistério do Deus que se faz próximo. 

A segunda consequência é que somente se participa da glória de Deus (ser santo) quando se faz o mesmo caminho que fez Jesus, o caminho da cruz. Essa foi também a experiência dos primeiros cristãos sendo experimentada ainda hoje na América Latina por homens e mulheres que lutam pela realização do projeto do Ressuscitado. 

Essas consequências convidam a dar alguns passos

O primeiro passo é deixar-se iluminar pela Palavra de Deus numa atitude de escuta daquele que nos chamou à vida e quer sustentar-nos no amor e pelo amor, e pede  uma resposta de fidelidade. Fidelidade à Palavra de Deus que a pronunciou no “princípio”, que a repete nas promessas e na Aliança, que a realiza na redenção trazida por Jesus – a Palavra Encarnada – e a perpetua nos gemidos do Espírito que ecoam na intimidade de cada pessoa e da comunidade.

Com isso, a Palavra de Deus é a fonte que dá sentido à vida da comunidade, à vida litúrgica-celebrativa e sacramental, à nossa vida de santidade.

Foto: Cathopic

O segundo passo é fazer com que a Palavra de Deus ilumine as ações humanas no campo social, comunitário e eclesial. Ações essas que não são vistas meramente como humanitárias, mas como a expressão do encontro experiencial com Deus

Santidade é lutar contra os mecanismos de morte 

O significado da santidade é manifesto, também, na coragem de resistir e na capacidade de transformar os fatos do cotidiano em experiências de libertação, em projeto e prática em defesa da vida, lutando contra todos os mecanismos de morte. Esta santidade só pode concretizar-se em quem foi tocado por dentro pela presença de Deus e vivenciou o diálogo íntimo com Ele por meio da Palavra.

 

Ir. Zuleica Silvano é biblista e exerce a missão Paulina no SAB (Serviço de Animação Bíblica).
 

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites