Animação Vocacional

Cônego João Mildner, uma vida dedicada à saúde

No dia 03 de dezembro de 2023, O Cardeal Odilo Pedro Scherer presidiu na Catedral da Sé (SP), a missa na qual deu posse a dois novos cônegos do Cabido Metropolitano de São Paulo, entre eles, o Padre João Inácio Mildner, Assistente Eclesiástico da Pastoral da Saúde da Arquidiocese de São Paulo 

Foto: Luciney Martins/O São Paulo

O Colendo Cabido Metropolitano de São Paulo surgiu em 1745, com a fundação da Diocese de São Paulo, e tem a função de zelar pela Catedral Metropolitana Nossa Senhora da Assunção e São Paulo, igreja-mãe da Arquidiocese. 

O rito de investidura contou com o momento da profissão de fé e a promessa de fidelidade feita diante do Cardeal, e a entrega do anel e do barrete, símbolos que identificam o cônego.

Foto: Luciney Martins/O São Paulo

Cônego João Inácio Mildner nasceu em 19 de janeiro de 1960, em Boa Vista do Buricá (RS). É o quarto filho de Orlando e Maria Angelina. A vocação nasceu no berço familiar com o testemunho de fé e a religiosidade dos pais, de dois tios sacerdotes e duas tias freiras.

Foi ordenado sacerdote em 28 de novembro de 1986, na Diocese de Santo Ângelo (RS). Veio a São Paulo (SP) para um estágio e aqui está há 32 anos, servindo como Capelão do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. 

Atualmente, também é Assistente Eclesiástico da Pastoral da Saúde da Arquidiocese de São Paulo, e durante a Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, realizada no dia 09 de dezembro, foi nomeado como Vigário Episcopal para a Pastoral da saúde e dos Enfermos. 

“Estar a serviço da Igreja na área da saúde é fazer o que Jesus pediu: amar sem preconceito, amar o irmão como ele é em sua essência, enfim, é uma escola de amor, é sentir a presença misericordiosa de Deus guiando e orientando a missão”, disse.

Foto: Luciney Martins/O São Paulo

Confira abaixo a mensagem enviada pelos familiares do Cônego Pe. João Inácio, por ocasião de sua nova missão.

“Na impossibilidade de estarem presentes nesta celebração, os irmãos do Pe. João, Cenira Lúcia, Francisco Gervásio, Maria Jacinta e Ernesto Roque, cunhadas, cunhados e sobrinhos, enviaram a seguinte mensagem:

Prezados irmãos em Cristo, aqui reunidos. 

Neste momento solene, em que estamos espiritualmente unidos a essa assembleia, queremos manifestar o nosso júbilo com a investidura de Cônego, do nosso irmão Pe. João Inácio Mildner. 

Desde pequeno, João, demonstrou interesse superior, aos demais, pelas coisas do alto. Possuidor de uma fé imensa, já na pré-adolescência ia com o Frei Isidoro, pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Horizontina (RS), auxiliando-o nos ofícios religiosos nas capelas e comunidades do interior, até a margem do Rio Uruguai, divisa com a República da Argentina. 

Sentindo-se chamado e determinado a seguir a sua vocação, superou todos os obstáculos que surgiram e foi ordenado sacerdote. 
Mas, Deus queria muito mais dele. Trouxe o para São Paulo (SP) para confortar os seus filhos, portadores de enfermidades no corpo e na alma. E assim ele se encontra aqui, longe dos seus familiares, há mais de trinta anos, trabalhando no Hospital Emílio Ribas e demais comunidades em que celebra ou dá assistência. 

Gostaríamos de deixar registrados dois momentos na vida do Pe. João. 

Certa vez, ao visitar um enfermo desanimado diante do seu quadro irreversível, Pe. João pegou carinhosamente a mão dele e falou: "Não desanime. Para Deus, você é mais importante do que um alto executivo para uma grande empresa. Seja forte e ofereça a sua dor e sofrimento pela conversão dos pecadores, e nos momentos em que for possível, reze pela igreja e pelas vocações religiosas. Assim você estará ajudando muitas almas a entrar no Reino do Céu. E Deus o recompensará. "

Em outra ocasião, no dia anterior a morte de nossa mãe, após ela sofrer um AVC hemorrágico, o Pe. João improvisou um altar, na sala contígua ao quarto dela. Reuniu a família e rezou a Santa Missa, que teve fervorosa participação. Embora sequelada, pela expressão dos olhos e feições do rosto, podia se ver que a mãe estava ciente do que acontecia. No dia seguinte, assim como a borboleta que deixa o casulo e voa para o céu azul, a alma da mãe deixou seu corpo e foi ao aconchego de Deus, certa do dever cumprido. 

Bem sabemos que a vida de sacerdote não é fácil. Ainda mais agora, em que os meios de comunicação, das mais diversas formas, tenta subverter os verdadeiros valores cristãos. É preciso ser forte, com a graça de Deus. Afinal, as árvores açoitadas, desde pequenas, pelos ventos fortes, são as que criam as raízes mais profundas e resistentes. 

Parabéns Cônego Pe. João! Que Deus, na sua infinita bondade, lhe dê muita saúde e força para continuar a trabalhar pelo Seu povo. Um forte abraço dos seus familiares."

 

Fonte: Jornal O São Paulo 
 

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites