SAB - Serviço de Animação Bíblica
Serviço de Animação Bíblica (SAB)

Dados gerais sobre o Livro de Ezequiel - Dicas Bíblicas / Fevereiro 2024


 

Caros irmãos e irmãs, iniciamos o tempo litúrgico da Quaresma, tempo penitencial, que nos prepara para celebrar o Mistério Pascal de Cristo.

Nesse período, no Brasil, também refletimos sobre o tema da Campanha da Fraternidade (CF): “Fraternidade e Amizade Social” e o lema “Vós sois todos irmãos e irmãs” (Cf.Mt 23,8). Esse tema está em sintonia com a encíclica do Papa Francisco: Fratelli Tutti – sobre a fraternidade e a amizade social. 

A Campanha da Fraternidade é uma das iniciativas da igreja católica no Brasil para proporcionar a reflexão sobre uma temática que nos conduz à conversão, tendo como objetivo, em 2024, “despertar para o valor e a beleza da irmandade humana, promovendo e fortalecendo os vínculos da amizade social para que, em Jesus Cristo, a paz seja realidade entre todas as pessoas e povos” (Manual da CF 2024, p. 7).

Mas para realizar esta finalidade é importante promover gestos concretos tais como: o analisar as diferentes realidades de polarização em nossa sociedade; identificar iniciativas de comunhão, reconciliação, de fraternidade; aprofundar sobre a doutrina social da Igreja; conscientizar sobre a necessidade de construir e manter a unidade na diversidade; incentivar e promover iniciativas de reconciliação entre as pessoas, comunidades, grupos e povos, e tantos outros gestos que nos indicam o material da Campanha da Fraternidade, mas também o Papa na encíclica Fratelli Tutti.

Portanto, que possamos estar atentos e atentas a essa temática durante o mês de fevereiro. 

Quanto à nossa caminhada com a profecia de Ezequiel, propomos ter uma visão geral do profeta e de seu livro. Ezequiel era provavelmente sacerdote e atuou no templo de Jerusalém.

No reinado de Joaquim, rei de Judá, Jerusalém foi invadida pela Babilônia sob o comando de Nabucodonor, sendo a família real e várias pessoas influentes de Judá, exiladas para Babilônia. Nessa primeira deportação, dado que ocorrerão três até a destruição final de Jerusalém, Ezequiel foi exilado.

Nesse contexto de exílio, o profeta recebeu o chamado e a missão de ser porta-voz de Deus, exortando o povo para a conversão e consolando-o nesse período exílico. 

Há várias propostas de estruturação do Livro de Ezequiel, mas faremos um panorama geral, dado que são 48 capítulos, com um conteúdo denso, que abarca um longo período da história, que vai desde a primeira invasão babilônica, passa pela destruição total da cidade de Jerusalém e do Templo, até a longa experiência como exilados na Babilônia.

Além das mortes, da dor, do sofrimento em todos os âmbitos, o Reinado do Sul, Judá, vivencia uma das piores crises religiosas, devida ao desmoronar das instituições que lhe davam segurança: o rei da dinastia davídica; o Templo, o privilégio de residir na cidade santa Jerusalém, e a concepção de que gozavam da proteção divina. Por haver textos antes da queda de Jerusalém e após a destruição da cidade santa e do Templo e a experiência exílica, o Livro de Ezequiel contém oráculos de juízo e salvação.

Traz também vários gestos proféticos, parábolas, visões de experiências de êxtase e alegorias. Basicamente, podemos dividir o livro em duas partes, conforme as duas etapas do ministério deste profeta.

A primeira compreende os capítulos 1‒32, também subdividida em dois blocos (Ez 1‒24 e 25‒32), retrata o período anterior à queda de Jerusalém (de 593 a 587 a.C), e objetiva evitar a invasão dessa cidade e sua queda. Além da narrativa da vocação e missão profética de Ezequiel (Ez 1‒3), essa primeira parte é marcada por oráculos com ameaças e exortações dirigidos a diferentes interlocutores: a Judá e seus dirigentes (Ez 1‒24); aos povos, cidades e chefes estrangeiros (Ez 25‒32).

Mas, com a intenção de que os habitantes de Jerusalém possam se arrepender e reconhecer seus pecados. A segunda parte é composta pelos capítulos 33‒48, que retratam o período após a conquista de Jerusalém (Ez 33,21), a partir de 587 a.C,.

Essa seção visa confirmar a fé e encorajar os sobreviventes e exilados, descrevendo o plano de restauração da “casa de Israel” (Ez 40-48). Ao contemplar o contexto de Ezequiel, também somos chamados(as) a contemplar as várias pessoas que são exiladas da sua terra natal, da migração forçada ou a busca por melhor condições de vida e trabalho em outros estados, cidades ou países. 

Nos outros meses, aprofundaremos algumas temáticas deste livro, considerando aspectos da liturgia, períodos importantes para nossa caminhada espiritual, e também eventos de nossa vida eclesial.

Assim, é importante nesse período ler o Livro de Ezequiel e perceber essas diferentes partes supramencionadas. 

Pausa para reflexão

1.    Você já leu o livro de Ezequiel? O que mais lhe chama a atenção?  
2.    Você conhece pessoas que tiveram que deixar sua cidade, seu Estado, seu país em busca de trabalho, ou de condições para sobreviver? Qual é a Babilônia de hoje?
3.    Como deseja viver esse período da Quaresma? 
4.    O que significa para você o tema da Campanha da Fraternidade “Fraternidade e Amizade Social”? Você conhece a encíclica “Fratelli Tutti” do Papa Francisco? Já leu alguma coisa sobre a Doutrina Social da Igreja? 
5.    Quais gestos concretos elencados para viver a CF 2024 são possíveis realizar em sua realidade eclesial e no contexto onde você é residente?


Se deseja ter uma visão geral da Encíclica Fratelli Tutti, sugerimos a live abaixo: 

Zuleica Aparecida Silvano é Irmã Paulina e assessora do Serviço de Animação Bíblica – SAB/Paulinas.

 

Para escutar o texto acima, clique no vídeo abaixo.

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites