Notícias
Notícias

Divididos entre o on-line e o off-line

O celular muitas vezes parece uma extensão do nosso corpo, mas ele não deve se sobrepor em interações pessoais ou invadir o espaço sonoro e audiovisual do outro

Foto: Freepik

Você atende ao celular aonde quer que esteja? Não se preocupa com o volume do aparelho mesmo estando num ambiente fechado como uma sala de espera? Não desgruda dele durante a reunião de trabalho ou uma ida ao banheiro?

O celular muitas vezes parece uma extensão do nosso corpo, mas ele não deve se sobrepor em interações pessoais ou invadir o espaço sonoro e audiovisual do outro. É essencial estabelecer regras de uso para as atividades digitais.

O smartphone já se tornou parte essencial de nossas vidas, mas seu mau uso pode ferir regras básicas da boa educação. A pessoa escrava do aparelho nem percebe, mas fica examinando o visor para ver se há novas mensagens a cada minuto e, desta forma, age de forma anti-social com quem está ao seu lado, interrompendo a conversa em curso, se distraindo e demonstrando pouco interesse com o que está acontecendo ao redor.

Comportamento conectado

Não se trata de um processo natural. O avanço das tecnologias digitais e o uso cada vez mais frequente dessas ferramentas foram inseridos em nosso dia a dia, por isso é necessário uma formação sobre como se portar, como usar, como se relacionar corretamente com a internet. 

Assistente de projetos da equipe Cidadão Digital da SaferNet Brasil, Gustavo Barreto. Foto: Ricardo Matsukawa

“Trata-se de um processo social, político e objeto de criticidade. É importante estabelecer regras de uso para uma experiência mais saudável com a internet. Também é fundamental uma educação que prepare as pessoas para um uso seguro, responsável e crítico. Por meio do aprendizado das habilidades digitais, como leitura crítica de notícias e uso de ferramentas de privacidade é que as pessoas conseguirão ter uma experiência mais positiva”, explica o assistente de projetos da equipe Cidadão Digital da SaferNet Brasil, Gustavo Barreto.

Espaço público

Hoje em dia não basta mais assistir ao filme numa sala de cinema, é preciso telefonar para contar a alguém o que está sendo visto. Não sei o que é pior: a voz murmurante ao telefone ou a luz do celular que perturba os espectadores em meio a escuridão ideal para se concentrar na telona. 

Foto: Freepik

Nada de sair tirando foto em que outras pessoas apareçam ao fundo. Não é educado compartilhar imagens de terceiros sem autorização. Lembre-se: a internet é um espaço público! 

“Nem só você e seus amigos navegam na internet. Por isso é bom ter cuidado com o que se compartilha e a forma como se comporta, buscando respeitar as outras pessoas que também estão nesse espaço. Deve existir uma responsabilidade com as pessoas ao nosso redor durante o acesso à internet, que podem se incomodar com o volume dos vídeos e áudios que ouvimos. Inclusive, a exposição desses conteúdos pode revelar algumas informações pessoais. Tenha cuidado, avalie quem tem acesso a suas informações e quais são os impactos disso”, afirma Gustavo Barreto.

Dicas práticas

Lembre-se: há momentos certos para fazer uso da tecnologia! Confira as dicas a seguir e evite aquela cena em que a família se reúne à mesa, mas ninguém conversa, pois todos estão com os olhos vidrados no celular.

- De preferência, use o aparelho no modo silencioso
- No restaurante não coloque o telefone em cima da mesa
- Não use o smartphone em refeições familiares
- Prestar atenção ao celular passa a ideia de que as pessoas que estão ao seu lado não são importantes
- Exemplo é tudo. Os pais devem ensinar às crianças as regras para um comportamento adequado

 

Leia também: Jovens cidadãos digitais

 

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites