Editora
Editora

Nas aflições e tribulações, Valei-me São José

“A memória do justo é para sempre” (Cf. Salmo 112,6)

Foto: Cathopic

No dia 19 de março, a Igreja faz memória de São José. O nome José vem do hebraico Yôsef e significa “Que ele (Deus) acrescente”. E, de fato, Deus quis acrescentar José no mistério da salvação, no projeto da salvação.

E dois Josés, que viveram em épocas diferentes (um no Antigo e o outro no Novo Testamento), têm suas similaridades.

O José do Antigo Testamento, ao ser vendido como escravo por seus irmãos, acaba no Egito e, graças a revelações feitas em sonhos, evita um período de escassez de sete anos, o que o leva a ganhar a estima do faraó. 

No Novo Testamento, temos outro José a quem são feitas revelações em sonhos. Através de sonhos, Deus pede que ele receba Maria como sua esposa (Cf. Mt 1,19-21), fuja para o Egito, depois do nascimento do menino Jesus (Mt 2,13-15), e depois volte para Israel, “pois aqueles que procuravam tirar a vida do menino já morreram” (Cf. Mt 2,19-21).

É bem verdade que na Bíblia são poucos e específicos os momentos em que se fala de José, mas isso não muda a sua importância enquanto pai adotivo de Jesus. Descendente de Davi, ele é um homem que honra a Deus, tanto que, em uma das suas imagens, ele tem em uma de suas mãos um lírio branco, que é sinal de pureza, de castidade/celibato, virgindade e amor incondicional, enquanto, no outro braço, sustenta o pequeno Jesus, acolhendo-o, assim, como seu filho.

Foto: Cathopic

Quem o vê com o bebê no colo não distingue entre pai adotivo e pai biológico. José adotou Jesus como seu próprio filho. Com isso, Jesus adquire o título de “filho de Davi”.

Ele é reconhecido como Patrono da Igreja Universal e possui duas solenidades com diferentes títulos: a primeira como esposo da Bem-aventurada Virgem Maria, e a outra como São José Operário.

Você já deve ter visto uma imagem de um homem exercendo o ofício de carpinteiro, trajando avental e trabalhando a madeira com plaina, o chão coberto de aparas; esse é São José Operário!

De modo especial, nessa memória de São José, se reconhece a dignidade do trabalho humano como dever e aperfeiçoamento do homem, exercício benéfico de seu domínio sobre o mundo criado, serviço à comunidade, prolongamento da obra do Criador e contribuição no plano da salvação. 

E no mês de Março, fazendo memória de São José, esposo da Bem-aventurada Virgem Maria e pai adotivo de Jesus, convido você a fazer esta pequena oração encontrada no livro “São José: homem justo, esposo e pai”. 

“Ó DEUS DE BONDADE, 
ASSIM COMO SÃO JOSÉ 
SE CONSAGROU AO SERVIÇO
DO VOSSO FILHO,
NASCIDO DA VIRGEM MARIA,
FAZEI QUE TAMBÉM NÓS
SIRVAMOS DE CORAÇÃO PURO
AOS MISTÉRIOS DO VOSSO ALTAR.”

Foto: Pexels

 

Para conhecer mais São José, leia os livros abaixo:

São José - história e novena

Dez dias com São José - Coração de pai, Santo da interioridade

Novena bíblica a São José

Terço e novena a São José

São José, homem justo, esposo e pai

 

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites