Notícias
Notícias

Suicídio, é possível prevenir! 

Setembro traz a oportunidade das pessoas entrarem em contato com o que é uma ferida aberta entre os jovens

Foto: Divulgação CVV

Setembro é mês de prevenção ao suicídio, segunda causa de morte entre adolescentes e jovens brasileiros de 15 a 29 anos. Mas, como num país ensolarado como o nosso, numa fase em que a vida floresce, muitos tiram a própria vida?

Enfrentar a morte abrupta de uma pessoa não é algo fácil de lidar. Vergonha e falta de informação só dificultam a busca por apoio para depressão, estresse e ansiedade. Por isso, setembro traz a oportunidade das pessoas entrarem em contato com o que é uma ferida aberta entre os jovens.

A iniciativa começou em 2015 e foi encabeçada pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria. Segundo médicos e psiquiatras, suicídios são passíveis de prevenção uma vez que estão relacionados às doenças mentais – que possuem tratamento.

Sinais de alerta

As razões podem ser bem diferentes, porém muito mais gente do que se imagina já pensou em suicídio. Segundo estudo realizado pela Unicamp, 17% dos brasileiros, em algum momento, pensaram seriamente em dar um fim à própria vida e, desses, 4,8% chegaram a elaborar um plano para isso. 

Foto: Pexels

Saber quais as principais causas e as formas de ajudar pode ser o primeiro passo para reduzir as taxas de suicídio no Brasil. Surge então outro desafio: falar com responsabilidade, de forma adequada e alinhada ao que recomendam as autoridades de saúde, para que o objetivo de prevenção seja realmente eficaz.

Preste atenção aos sinais, pequenas mudanças podem indicar um pedido de ajuda:

- Alterações no sono e no apetite;
- Descuido com a aparência;
- Não gostar mais de coisas que curtia antes;
- Piora do desempenho na escola ou no trabalho;
- Isolar-se e não ter esperança no futuro;
- Achar que nada, nem ninguém, pode ajudar;
- Dizer frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”.

Doenças mentais

Voltando à pergunta feita no primeiro parágrafo desta matéria, é possível mapear algumas causas e gatilhos. As doenças mentais são uma delas. Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados em 2019, entre os jovens, cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão relacionados a transtornos mentais.

Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de drogas. Também são fatores de risco para o suicídio situações como desemprego, sensações de vergonha, desonra, desilusões amorosas, além de antecedentes de doenças mentais. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS), afirma que o suicídio tem prevenção em 90% dos casos. O livro Mente suicida, respostas aos porquês silenciados, do padre Licio de Araújo Vale, da Paulinas Editora, é um instrumento que colabora com a prevenção do suicídio. A obra aponta que a solução passa por acolher a dor de quem sofre, sem julgar nem condenar e encaminhar a pessoa a um serviço ou profissional de saúde mental são atitudes concretas que podem salvar vidas.

O livro lembra que para muitas doenças existem remédios e vacinas, mas para as dores da alma só existe o amor. “Não tenha vergonha de declarar e receber amor. Se permita experimentar algumas doses diárias para merecer a cura de suas dores da alma”.

Para se aprofundar

Conheça o curso EAD de Paulinas sobre Prevenção e posvenção ao suícidio.

- O CVV  atende de forma voluntária e gratuita todas as pessoas que desejam ou precisam conversar. A instituição realiza apoio emocional e de prevenção ao suicídio (24h, 7 dias por semana) sob total sigilo por telefone, e-mail e chat. Disque 188 e acesse o site.

- Mente suicida, respostas aos porquês silenciados, do padre Licio de Araújo Vale, da Paulinas Editora, apresenta os passos essenciais para o apoio emocional e a prevenção do suicídio em lares e escolas.

- Livro: E foram deixados para trás: Uma reflexão sobre o fenômeno do suicídio

- Baixe gratuitamente a Série Especial sobre saúde mental do Portal Paulinas. Informe-se sobre os principais transtornos mentais: ansiedade, pânico, fobias, e depressão. Acesse aqui.
 

Site Desenvolvido por
Agência UWEBS Criação de Sites